Warning: Undefined array key "options" in /home/u630391222/domains/irmasdospobres.com/public_html/wp-content/plugins/elementor-pro/modules/theme-builder/widgets/site-logo.php on line 194
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Vem para fora, vem para a vida!

Foto da pintura: Dimitris Vetsikas/Pixabay

A impactante narrativa da ressurreição de Lázaro (Jo 11,1-45) nos permite conhecer melhor o poder de Jesus sobre a morte. Com a Páscoa, acontece a “abertura das sepulturas”, a saída de um cárcere à liberdade, da vida reprimida à fecundidade do sentido. Assim, como Jesus se compadece pela morte do amigo, também olha para a multidão carente de amor. Ao trazer o morto à luz, revela o Pai, a essência da criação. Deus é vida e a morte é saudável para renascer, pois, se a semente não morre, não produz nada. Passar pela sepultura é entrar no casulo das possibilidades. Assim, nem toda escuridão é má, mas é neste estágio íntimo que a natureza cresce. Nas noites escuras da fé é que se prova o mel da paz. Depende de cada um a compreensão do mistério.

Toda espécie de morte é uma ruptura com sistemas politicamente corretos, com as expectativas e os projetos construídos sem base sólida. Temos medo da morte porque a vida não é bem integrada. Cada vez mais, está mergulhada no desespero e na incerteza. Fugimos das respostas sobre o que é a vida e o que é morte. Aliás, a falta de questionamento sobre duas realidades tão reais é o sintoma de uma sociedade doente que finge sublimação e no entanto, cava sua própria sepultura como fim do sofrimento.

Jesus é a Páscoa, a ressurreição, a vida sem rodeios. Traz Lázaro para fora com a intenção de destruir a chave farisaica perversa que reduz a existência apenas a leis medíocres e escrupulosas. Faz as pessoas enxergarem que nada pode aprisiona-las em suas covas. Nos traz à luz para agradarmos a Deus por meio do Espírito que nos vivifica e alimenta a nossa esperança. O cristão precisa sair de sua sepultura cheia de indiferença, desamor, preconceito, intolerância, julgamentos para ter vida nova. Jesus chama, mas a saída passa pela conversão que não é um ato mágico, e sim fruto de uma consciência que anseia por Deus. Temos a escolha de permanecer no túmulo ou rolar a pedra e entrar no jardim da alegria com Cristo. O Senhor desata nossa incapacidade e gera habilidades a serem colocadas a serviço da vida. Caminhemos, fervorosos pelo Evangelho.

Paz e bênçãos!

Pe. Nilton Cesar Boni, cmf

Missionário Claretiano, sacerdote, formador do Filosofado Claretiano em Belo Horizonte/MG

Comente o que achou:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

Posts Relacionados:

Eu, filho “abençoado’’

Eu, filho “abençoado’’

Nunca escrevi uma autobiografia, não tive nem tempo nem ambição, mas agora que cheguei ao "Lar definitivo", o destino de todos, sinto vontade de vos contar a minha história. Não

Ao Papa Francisco

Ao Papa Francisco

Creio na Igreja, creio na unidade A profissão de fé que fazemos na liturgia dominical é expressão de nosso seguimento a Cristo. Cremos na Igreja que Ele fundou, na mesma

Prepare-se: vem aí o 5º Congresso Missionário

Prepare-se: vem aí o 5º Congresso Missionário

Imagem: Divulgação "Ide! Da Igreja local aos confins do mundo” é o tema do 5º Congresso Missionário Nacional, marcado para o período de 10 a 15 de novembro próximo, em

“O comunicar é da essência do Cristianismo”

“O comunicar é da essência do Cristianismo”

Novo bispo auxiliar de Curitiba, dom Zico, é apresentado em missa celebrada na Catedral Basílica de Curitiba Foto: Joka Madruga/Fraterno72.net Por Sandra Nassar O apelido veio dos tempos de seminário

Vem para fora, vem para a vida!

Vem para fora, vem para a vida!

Foto da pintura: Dimitris Vetsikas/Pixabay A impactante narrativa da ressurreição de Lázaro (Jo 11,1-45) nos permite conhecer melhor o poder de Jesus sobre a morte. Com a Páscoa, acontece a

Vai Francisco

Vai Francisco

Foto: italomesu/Cathopic O Papa Francisco deveria se chamar “Ousadia”. Me encanta seu atrevimento, sua coragem, seu zelo carinhoso pelas coisas de Deus. Francisco é a expressão de um Jesus apaixonado